25 maio, 2007

a verdadeira poesia

"Não tenhamos pontos de vista professorais sobre arte. Porque
é que Baudelaire, Lautréamont, Rimbaud, personagens muito
pouco recomendáveis do seu tempo, representam não obstante
tantas coisas para nós e são de alguma maneira benfeitores?
Não seguramente pela sua moral, mas por terem conferido um
novo impulso vital, uma nova consciência.
Por isso, em vez de os comparar a pregadores espalhando a
boa ou a má nova, há que compará-los ao primeiro homem que
inventou o fogo. Foi um bem, foi um mal? Não sei. Foi um novo
começo para a humanidade. Uma sucessão de novos começos
faz uma civilização. É isso também o que o poeta mais deseja,
um novo começo, uma vitória sobre a inércia, sobre a sua, so-
bre a da época, sobre o entorpecimento sem fim dos reaccio-
nários.
Vemos assim que a poesia, mais do que um ensinamento, mais
até do que um encantamento, uma sedução, é uma das formas
exorcizantes do pensamento. Pelo seu mecanismo de compen-
sação, liberta o homem da atmosfera viciada, deixa respirar
aquele que asfixiava. Transforma um estado de alma intolerável
noutro satisfatório. É, pois, social, mas de uma forma mais com-
plexa e indirecta do que se diz.
Sem o parecer, respondo desta maneira à pergunta: «Qual a
finalidade da poesia?» - A de nos tornar habitável o inabitável,
respirável o irrespirável."



Henri Michaux, excerto de um discurso pronunciado no
14º Congresso Internacional dos PEN Clubes, que teve lugar
em Buenos Aires em Setembro de 1936, intitulado "A Verda-
deira Poesia Faz-se Contra a Poesia" e incluído em "Nós Dois
Ainda", edição da "& etc" (Março 1988) com tradução de Rui
Caeiro. Fez ontem precisamente 108 anos que o autor nasceu
em Namur, na Bélgica.

7 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

...só estranho que não veja as imagens na sua plenitude....

:)))))))))))))
______________________bom dia F.

de resto está tudo bem...acho. as imagens só cresceram.mais nada.

acho que estão correctas.ou pelo menos não encontro nada de errado.
___________________obrigada.


beijo.

26 maio, 2007 08:00  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

O Francisco deve mudar as suas lentes de contacto?

26 maio, 2007 09:41  
Blogger hfm disse...

«Qual a
finalidade da poesia?» - A de nos tornar habitável o inabitável,
respirável o irrespirável."

E faz-se silêncio.

26 maio, 2007 11:08  
Blogger francisco carvalho disse...

o Francisco não precisa de lentes de contacto. nem sequer de óculos.
precisa talvez de um écran maior. ou se calhar de perceber um pouco mais do mundo informático...

só consigo ver algumas imagens na sua plenitude quando 'clico' sobre elas e assim abrem nas suas dimensões normais - mais pequenas -e não já distorcidas...

beijos

26 maio, 2007 11:36  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

Os beijos todos são para Ysa.

26 maio, 2007 17:28  
Anonymous Anónimo disse...

eu diria que são para o poeta Moloi Anjo Indigo de Cristal....


:)))))))))))))))))))

26 maio, 2007 19:31  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

um ser a caminho da androginia não é propriamente um candidato à gay!

27 maio, 2007 10:38  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial