14 março, 2006

rés ao chão, no lume antigo do meu silêncio

Image hosting by Photobucket
© Porto, 2005


"Mão de ferro finada
a bateres à porta
de quem vive embutido
nas traseiras"

poema de Luiza Neto Jorge

6 Comentários:

Blogger MOLOI LORASAI disse...

no antigo silencio do meu lume
crepitou um novo amor
chama-se GUEVARITA DEL dolor

res ao chao como uma barata
ser chato como eu

14 março, 2006 10:10  
Blogger francisco carvalho disse...

isso até dava uma canção!

14 março, 2006 10:24  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

estou a espera do regresso da FENIANA para fazer uma cançao

14 março, 2006 10:32  
Blogger feniana disse...

o que eu li...uma canção!! também fico à espera.

e a fotografia, francisco. tão cheia de azul. e de tantas palavras.

14 março, 2006 16:52  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

pensei assim, sera que a Feniana e daltonica. Ah sim, ë a foto de baixo.Cheia de azul e palavras. Uma cançao bossa nova.

14 março, 2006 19:38  
Blogger Patrícia Nogueira disse...

Parece-me que a mão é de quem vive nas traseiras, no rés-do-chão, no 3º andar.

15 março, 2006 12:52  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial