10 agosto, 2005

meu amor, meu avião

Para a Paula, que tem a sorte de poder festejar duas vezes
por ano o seu aniversário...

Meu amor. Minha mulher. Minha sorte.
Companheira dos meus tempos mais belos.
O desejo puro. A carne jubilada. Nossas filhas.
Companheira também nos tempos mais duros.
Nos silêncios magoados. Nas secretas dores.
Que o amor é muitas vezes um sítio difícil,
um lugar estranho.
Que o amor é um esforço muito grande.
Que só assim se cimenta, assim sedimenta.
Que assim floresce. Frutifica.

Meu amor, aqui te beijo.
Anjo que me ajudaste a fintar a morte.
Meu porto seguro.

Image hosted by Photobucket.com
© Brasil, 1995

2 Comentários:

Blogger MOLOI LORASAI disse...

o avião desceu
só pra ver a Paula

10 agosto, 2005 10:09  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

A minha educação sexual estilo vitoriana, anos 50, faz-me dizer Ó Francis, te safaste com este poema de amor.

10 agosto, 2005 15:00  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial