22 agosto, 2005

juliette

Image hosted by Photobucket.com
© 2005

3 Comentários:

Anonymous nosferatus disse...

olhando pra foto pensei que era o homem do piano

23 agosto, 2005 18:44  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

Não sei o que me dá contigo, mas ÉS a mulher mais bonita que vi ,e isto não é novela, é realidade.Um dia que vieres a portugal, farei TUDO para te conhecer, isto claro como se diz no Brasil, numa boa !.Não pensa que é maldade, é admiração sem limites, e TU és a prova de que Deus existe.
Um beijão
Joaquim Leitao

Joaquim, brigada pelos elogios e reze que tudo dará certo e eu conseguirei levar o Pequeno Príncipe pra se apresentar em Portugal. Não ia ser o máximo?! Tomara... Beijos, Luana.


NÃO É MOLE NÃO, HEIN FRANCISCO?

25 agosto, 2005 19:40  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

Esta mensagem é só pra enviar abaixo um artigo que escrevi.

EU E A MUSA
Marcelo Aguiar.1

Naquele dia tirei a maior dúvida da minha vida. Deus realmente existe, é a conclusão óbvia. Não pude acreditar quando senti aquele vulto sentar ao meu lado na sala de espera do Santos Dumont. Era ela. A própria. A musa das musas.
Sabe aquela sensação do estômago virar de cabeça pra baixo, as pernas bambearem e você não ter a coragem nem de se virar pra conferir? É isso mesmo.
O jornal que eu lia perdeu o controle e começou a tremer compulsivamente. Só conseguia sentir que aquele vulto vestia algo verde cheio de flores que, de tantas, inebriavam o ambiente com seu aroma. E a coragem pra olhar? O pescoço estava travado... Mas virei. Virei e vi, e confirmei, era ela. Como pode a natureza produzir algo assim?
Voltei a minha insignificância e ao jornal, que insistia em tremer. E quem disse que consegui me concentrar? O jornal posso ler no avião, pensei, mas olhar uma deusa de perto, é agora ou nunca mais. Olhei de novo. E ela nem aí, como devem ser todas as que foram engendradas por Zeus, mediadoras entre o divino e o humano e, segundo a versão do poeta Alcmán, capazes de inspirar todo e qualquer tipo de poesia.
Tenho certeza que Zeus voltou a terra e, na sua infinita sabedoria, se inspirou numa mescla de Calíope, Érato e Terpsícore para doar ao mundo esta nova divindade. Afinal de contas não dava pra querer inventar a roda, era melhor aperfeiçoar o que já era perfeito. E como diria Rubem Darío: “A melhor musa é a de carne e osso!”. E eu ali, feito uma estátua, sem emitir o menor ruído. Bem que eu podia pelo menos dar boa tarde, dizer que sou fã, que gostaria de um autógrafo (que coisa brega!). Mas, como diria Lênin: “Que fazer?”.
E sem a menor consideração com o mundo, ela se levanta e vai... Meu deus do céu! E eu aqui perdendo tempo lembrando de Zeus, de Calíope, de Darío, e até de Lênin! Sabe quando vou ter outra oportunidade destas? Nunca! E nem o brega do autógrafo eu tenho. Que coisa mais absurda, perder para o acaso, apenas se arrepender pelo não feito, o cúmulo dos cúmulos. Ou seja: JÁ ERA!
Foram os cinco minutos mais rápidos em toda a minha vida. Mas uma coisa é certa, poderei contar esta história pra todos os meus amigos sem medo de me chamarem de mentiroso, afinal nem um sorriso consegui, e quem iria duvidar de um caso de fracasso colossal como este. Nem minha mulher pode reclamar.
O problema é que todas as vezes que volto ao Santos Dumont me sento na mesma cadeira, leio o mesmo jornal e saio com a mesma frustração. Pelo menos ficou na lembrança meu encontro com a musa das musas, Luana Piovani.

1.Marcelo Aguiar foi Secretário de Inclusão Educacional e Chefe de Gabinete do MEC em 2003 e atualmente é assessor do Senador Cristovam Buarque.

Meu Deus Marcelo! Que viagem! Deu mole! Bom... Ainda bem que eu pego ponte aérea toda semana, quem sabe nos reencontramos?! Brigada pelo carinho e admiração e ADOREI o artigo. Beijos, Luana.

25 agosto, 2005 19:56  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial