24 abril, 2010

objecto propagado ao mar

um poema de Luiza Neto Jorge




A mulher de areia
conduziu no vento
os grãos do corpo

rios a fazem e trazem

garfos a possuem
escorrem nos dentes
seus olhos de lâmpada

Mulher íntima
máquina mão detida
objecto propagado ao mar

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial