29 março, 2009

um zero à esquerda a explicar aritmética a um génio puro

- Pai, cinquenta é mais que mil?
- Não, filhinha...
- Então, é metade de cinco?
- Não, é dez vezes mais que cinco.
- Não, não... CINCOO-ENTAAA, estás a ver, é metade.
- Não, amor, cinquenta é metade de cem.
- Cem é sem números?
- Não. É dez vezes dez. São muitos uns para contar. É um um 
com dois zeros. Com dois zeros à sua direita. É como o dez que tu 
já sabes... que só tem um amiguinho zero a acompanhá-lo.
- E o zero sozinho?
- Ui, esse não tem amigos nenhuns...
- Oh, coitadinho, eu gosto do zero!
- Ele não é coitadinho. Anda sempre a querer namorar com todos
os outros números.
- Então, tem muitas namoradas?
- Sim, sim, pelo menos anda sempre agarradinho a elas.
- Tem mais de mil?
- Se calhar, sim. Talvez um milhão.
- O milhão também é mais que mil?
- Sim. É um um com uma fila enorme de zeros atrás dele.
- Um milhão de namoradas! Também gostavas de ter um milhão 
de namoradas, pai?
- Isso seriam quase todas as namoradas do mundo...
- Assim até podias ter uma namorada chinesa.
- Era capaz de ser interessante...
- Ó pai, tu consegues desenhar um milhão de zeros numa folha?

3 Comentários:

Blogger alice disse...

:) uma delícia ler este diálogo, francisco. um beijinho grande.

31 março, 2009 00:04  
Blogger Claudette Guevara disse...

:D

31 março, 2009 10:56  
Blogger PreDatado disse...

Eu agora fico paulatinamente à espera dos netos para poder ter este tipo de diálogos deliciosos.

31 março, 2009 23:52  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial