29 março, 2009

as teias que a vida tece*


"De repente, não mais que de repente, como escreveu o Poetinha, 
ou melhor, Vinícius de Moraes, o mais carioca dos cariocas, acabo 
de receber a visita de Paulo Barata, um recente amigo intempestivo,
que me trouxe nosso jornal "Poiésis" para que eu firmasse um 
autógrafo para um ótimo poeta português, xará de excelente poeta 
cearense. Mon coeur à nu, mergulho no seu blog e dou de cara com 
um sintagma que é título de meu primogênito livro de poemas: 
"Palavras & Silêncios". Adoro sincronicidades e gozo a teia poética, 
tecida, quem sabe, por Runas, para mim lidas, à beira-mar, num 
encontro inaugural, por Paulo Barata. Todo o meu afeto, Latuf."


* perdoem o pequeno ataque de vaidade, mas estas coisas não nos
acontecem todos os dias...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial