20 março, 2009

mais uma tisana

de Ana Hatherly


A impossível travessia da ilusão é uma espécie de resíduo
cadente o que fica desse lugar de conjectura que é o sujeito.
Pai-mãe-eu são meros pontos de partida para a invenção do
raciocínio diz a moderna ciência. Portanto: evitemos as
precisões inúteis: ser é ser retratado. Diz-se.




3 Comentários:

Anonymous moloi cid barretto disse...

esta é outra espécie de pedra filosofal? Aprecio as mais expontâneas. Podem dizer que sou um chato.
As letras pedidas foram HABLA.

21 março, 2009 00:56  
Anonymous moloi cid barretto disse...

“Os bruxos sustentam que falar de nós mesmos nos faz acessíveis e fracos, enquanto que
aprender a estar quieto nos enche de poder. Um princípio do caminho do conhecimento é fazer da
própria vida algo tão imprevisto que nem mesmo o próprio sujeito sabe o que vai acontecer”.
Carlos Castaneda

21 março, 2009 12:26  
Anonymous informador desnecessário disse...

Lenine (Porto)
Chamam-lhe "cronista sonoro" pela capacidade de contar histórias do dia-a-dia num tom contagiante. Começa por absorver as misturas étnicas da música tradicional brasileira para depois marcar encontro com as linguagens eléctricas do rock. Lenine regressa para apresentar "Labiata" em dois concertos: 21 de Março no Cinema Batalha (Porto) e dia 22 na Aula Magna (Lisboa).
A liberdade das formas de expressão é o traço comum da obra de Lenine: sem barreiras e com uma criatividade imensa, reparte-se por inúmeras actividades (teatro, televisão, sambas-enredo, etc.). Testemunho disso mesmo é a extensa lista de colaborações com outros artistas, que inclui nomes como Dionne Warwick, Gilberto Gil, Chico César, Djavan, Elba Ramalho, Fernanda Abreu, O Rappa, Zélia Duncan, Cesária Évora, Arnaldo Antunes, Maria Bethânia, Daniela Mercury, Ney Matogrosso, Gabriel O Pensador, Maria Rita ou Pedro Abrunhosa.
S.Pe. (PUBLICO

21 março, 2009 14:19  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial