15 março, 2009

aprendizado

Ela teria a certeza de que não seria
Um boi amarelo.
Um boi amarelo não existe.

Também não seria uma esfinge.
Nem sequer o mar azul.
O que era, não sabia.
Mas sentia.



um poema de Paulo Luiz Barata dedicado à minha filha mais
nova, do seu último livro Senya Semotyka.

4 Comentários:

Anonymous moloi cid barretto disse...

aguardamos fotos para o songbook.

15 março, 2009 17:46  
Blogger francisco carvalho disse...

Só depois de terça...

15 março, 2009 20:50  
Blogger Carla de Elsinore disse...

acontece que já não tenho essa idade em mim...desejo que não seja assim com moloi.

17 março, 2009 18:15  
Anonymous Anónimo disse...

que saudade....




beijos para dividir com Moloi...




piano.

18 março, 2009 13:02  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial