07 setembro, 2008

eu sempre fui mais McEnroe

7-6, 6-1, 6-7, 5-7, 6-4. Quatro horas e dez minutos de beleza
pura. Revi algum desses momentos espectaculares por estes
dias. Há dezoito exactos anos, no torneio dos Estados Unidos,
começava assim o declínio do imperador Borg. O ocaso do senhor
frio. Na altura irritava-me o seu jogo perfeito e glacial. Hoje
simpatizo bastante com a histórica figura, quase tanto como com
o malcriado rapaz americano que, à época, eu juvenilmente idola-
trava. Essa vertigem de subir e decidir na rede...
Não sei se cheguei a ver este jogo, não sei se ele terá sido televi-
sionado. Mas lembro-me bem de ter vibrado com as batalhas que
travaram em Wimbledon, jogos lendários que também ficaram
para a história do ténis mundial.

Photobucket
© 2008 (fotos de telemóvel)

1 Comentários:

OpenID springhasasister disse...

Sabes que o meu 'querido' Andy Murray me faz muito lembrar o McEnroe... Adorei ver o jogo em que derrotou o Nadal!

09 setembro, 2008 16:53  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial