28 maio, 2008

Homem de letras, de Henri Michaux

Só,
Só,
Ser o seu próprio pão,
E apesar disso ser celeiro, diz ele,
A estoirar pelas costuras todas.
Em blocos, em lâminas, em jactos e em cristal,
Mas por trás do muro das suas palavras,
É um grande surdo.

2 Comentários:

Blogger isabel mendes ferreira disse...

magnífico!




abraço. F.


forte.

28 maio, 2008 10:57  
Blogger un dress disse...

... é. um poema de prática s :)

28 maio, 2008 11:28  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial