12 junho, 2007

e aqui se insinuam os poetas

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
© Porto, 9 Junho 2007


em cada verso insinuo, um poema de Vasco Graça Moura
(autor em destaque na 77ª Feira do Livro do Porto)


em cada verso insinuo
um metal, uma rasura,
uma voz, uma figura,
um avanço e um recuo,

um disparo, a ganga impura
de alegria, raiva, amuo,
ou da irónica amargura
de medir a arquitectura
das luas que não possuo,
e a razão, fria impostura
da romântica aventura.

junto o mais que não excluo,
dia a dia, e que perdura
a estalar o que construo.

6 Comentários:

Blogger isabel mendes ferreira disse...

a insinuação de uma figura que "ao volante" da Imprensa Nacional em tempos idos, dava asas aos poetas que por lá se aninhavam...:))))



_________________goste-se ou não do "ar" o V.G.M. sempre deu de beber à curiosidade...e depurou a escrita.quase ao limite do insustentável....


bom dia F.

B.

12 junho, 2007 09:36  
Blogger francisco carvalho disse...

de facto, eu também nunca gostei muito do seu "ar" mas a verdade é que me revejo, passe a imodéstia, em muitos dos seus poemas e temas...

bom dia , Ysa.

12 junho, 2007 10:08  
Anonymous Anónimo disse...

toda a razão...:))))))))))))))


_____________________beijo de boa tarde. F.




y.

12 junho, 2007 14:49  
Blogger D em Coimbra B disse...

O VGM é um espelho limpo, porque por ele podemos saber das nossas coisas pelas dele.

13 junho, 2007 00:02  
Blogger feniana disse...

olá primeiro visitante.
vim ler-te edeixar-te um beijo.

já deixei.






ps.aquele senhor de cabelo branco, que parece recitar não é um jornalista da rtp, que em vez de reportagens faz poemagens?

18 junho, 2007 18:14  
Blogger francisco carvalho disse...

Olá, feniana. Tens toda a razão, aquele senhor estava de facto a recitar e é sim jornalista da rtp, de seu nome Alberto Serra...

deixo-te também eu
um beijo.

19 junho, 2007 00:56  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial