14 fevereiro, 2007

mensagens do amor

minha oferenda de hoje, para ouvir e ler repetidas vezes...



"Cabeceira", um poema de Ana Cristina César
(minha deusa e minha musa)

Intratável.
Não quero mais pôr poemas no papel
nem dar a conhecer minha ternura.
Faço ar de dura,
muito sóbria e dura,
não pergunto
"da sombra daquele beijo
que farei?"
É inútil
ficar à escuta
ou manobrar a lupa
da adivinhação.
Dito isto
o livro de cabeceira cai no chão.
Tua mão que desliza
distraidamente?
sobre a minha mão

9 Comentários:

Anonymous calango coerente disse...

Z

Deus assiste
equânime
o teu último embate
com a serpente

Entretanto,
X deu mil autógrafos
Y mais um pum iridescente.

És tu
Z: Ana Cristina César

14 fevereiro, 2007 00:28  
Blogger alice disse...

feliz são valentim, francisco. um grande beijinho. isso é válido para calango também. bom dia ;)*

14 fevereiro, 2007 09:47  
Blogger hfm disse...

Belo!

14 fevereiro, 2007 11:25  
Anonymous Anónimo disse...

a Helena Disse.




beijo Francysco.

14 fevereiro, 2007 12:29  
Anonymous english calango disse...

somebody had contact with Abrunhosa Pedro? Oh, no! I can't belive.

14 fevereiro, 2007 14:27  
Blogger Silvia Chueire disse...

Vim, li e ouvi. As canções são de bom gosto, Francisco. Gosto delas. E os poemas idem. É bom estar por aqui.

Abraços,
Silvia

14 fevereiro, 2007 15:12  
Blogger feniana disse...

muito lindo. o poema.

para ti, hoje, um beijo especial.
pelas tuas primeiras palavras.
primeiro visitante.

14 fevereiro, 2007 22:52  
Blogger francisco carvalho disse...

Incrível, Feni!!!
Acabei de vir do teu 'speak corner' onde deixei meu comentário e chego agora aqui para encontrar estas tuas amáveis palavras...
Como lamento não me ter lembrado devidamente. Fica para a próxima.

beijos, mais uma vez

14 fevereiro, 2007 23:20  
OpenID doloridocolorido disse...

ah teu blog é tão bom e eu tambem adoro ana c.

19 fevereiro, 2009 12:04  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial