07 fevereiro, 2007

between me and this picture

Photobucket - Video and Image Hosting
© 2007, [Ôca (Between You And This Picture), de Armando
Ferraz, da sua exposição "Um Atelier Mínimo", na galeria Graça
Brandão, no Porto, até 17 de Fevereiro].



"The air between you and this poster consists of particles rushing
to and from at several hundred meters a second".

"Gostei desta frase que vi num cartaz de apresentação do prémio
Nobel da Física [de 2001, atribuído a Eric A. Cornell, Wolfgang
Ketterle e Carl E. Wieman, pela Royal Academy of Sciences]. O
cartaz estava no meio doutros que se encontravam num corredor
da Faculdade de Ciências. Transcrevi-a para um caderno de notas.
Gostei dela por falar de um fenómeno invisível e, por isso, me obri-
gar a imaginar. Senti-me vítima da frase.
(...)
Guardei a frase esperando adaptá-la a uma das minhas imagens.
Tive dúvidas acerca da imagem a escolher. E acabei por acrescen-
tá-la às fotografias desfocadas de uma bola de ginástica. Optei pelo
conjunto de imagens mais abstractas que tinha (se é que se pode
falar em abstracção quando se fala em fotografias). O conjunto não
nos remete para coisa nenhuma, não se evidencia nelas a perspecti-
va de outras imagens. O seu espaço não é côncavo, mas convexo; a
invisibilidade da superfície fotográfica não dá lugar a uma profundida-
de para dentro, mas a uma profundidade para fora. Mas a ilusão é a
mesma: a superfície não nos pertence fisicamente; não está lá, real-
mente, o que podemos ver; e o que está lá, por outro lado, nunca
pode ser visto (como, numa outra dimensão do problema, não podia
ser visto o corpo translúcido no corredor da Faculdade de Ciências).
Em momentos da História contestou-se o carácter ilusionista da pin-
tura. Hoje essa visão pictórica que apaga a massa dos pigmentos
convive, sem atritos, com as tintas à superfície, assim como na rea-
lidade também convivem transparência e opacidade. Nesta série
(convertida agora num trabalho único), nada importam as imagens
(nem me preocupei com a orientação específica de cada uma), mas
o espaço real entre elas e quem as observa. Elas estão presentes
porque não podia ser doutra maneira. Foram estas, mas podiam ter
sido outras..." 14-10-06

(notas do caderno do autor, disponíveis para o público na galeria).

4 Comentários:

Blogger alice disse...

olá francisco. eu só queria dizer que sei o que é um calango. é um lagarto. de uma espécie que os faz muito giros e fofinhos. adorava ter um na banheira. beijinhos ;)*

07 fevereiro, 2007 14:26  
Blogger francisco carvalho disse...

Olá, Alice. Pelo que consultei, também parece que quer dizer outras coisas...
Mas Moloi saberá melhor do que eu...
;)

07 fevereiro, 2007 15:19  
Anonymous calango carioca disse...

referendo seria para se permitir a ida de portuguesas para o Rio de Janeiro. Concluo isto ao ler o Sushi Leblon.
Perdem a pureza nesta cidade babilônica, cruel, a custa de meras ilusões.

07 fevereiro, 2007 21:31  
Blogger isabel mendes ferreira disse...

prefiro Natal

ou Belém


ou


Manaus.



bom dia com beijos. de água.

08 fevereiro, 2007 09:31  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial