04 fevereiro, 2007

nas marés da minha memória

é recorrente lembrar-me do odor intenso, quase entranhável
desse breve e secreto livro de Isabel de Sá, Escrevo para
desistir, livro que me acompanha há muitos e bons anos, numa
edição da "& etc" de 1988, de que existirão apenas uns 500
exemplares, e eu sinto-me sempre algo felizardo por ter sido
um desses poucos que um belo dia se decidiu a querê-lo para si.
gosto de livros assim, nas margens ou à margem do que será
porventura a grande literatura, longe das luzes da ribalta...
nas vivas marés da minha memória, tornou-se como que im-
perioso - será por causa de outra Isabel? - trazê-lo para aqui...

"Há pessoas que ignoram o que é um poeta. Algumas delas,
esboçaram versos durante a adolescência. Possivelmente,
para além da vida familiar, ainda os guardam. Mas, nenhuma
delas, se debruça agora sobre o interior de um verso mínimo.

Sei que vou sempre ler um poeta. Encadernei o livro para
que seja mais resistente às inúmeras leituras, o livro deste
meu poeta que escreveu: «Perdi a minha infância, e ela vol-
tou, e sinto que ela continua a ser tão difícil como outrora
e que de nada serviu ter envelhecido».

Todos os seres devem ter um instante em que lhes vem à
memória restos de infância. Os poetas escrevem palavras sim-
ples que não alimentam a fé de ninguém. Só a vida de um san-
to é exemplar, depois de ter conhecido o pecado e o arre-
pendimento. Há santos que apodrecem à vista das multidões
que lhes visitam a morte. No meio da turbulência, a palavra
fica para sempre iluminada por um rasto de loucura."

4 Comentários:

Blogger hfm disse...

"No meio da turbulência, a palavra
fica para sempre iluminada por um rasto de loucura."

04 fevereiro, 2007 09:52  
Anonymous Anónimo disse...

a Helena e o Francisco....dois dos meus mais queridos poetas de alma.
________________________


turva a turbulência que às vezes nos faz desistir de fingir que acreditamos.
________________________
Isabel de Sá....um segredo guardado à vista de todos .da forma mais bela.
_________________________

um beijo. para os meus dois.todos.vós. F. e H.
___________________________

Y.

04 fevereiro, 2007 10:11  
Anonymous calango do japão disse...

há pessoas que ignoram o que é um calango.

04 fevereiro, 2007 15:32  
Anonymous guevara disse...

"há pessoas que ignoram o que é um poeta""

bastava que a palavra poeta fosse trocada no texto por outro modo de vida e já seria tudo tão feio e despropositado.

:D

05 fevereiro, 2007 00:04  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial