12 janeiro, 2008

instante grafado

À janela sacodes
o pó da tua solidão.

No cabelo uma fita
azul pálido como o céu.

Quando olho as manhãs
dos outros engano sempre
meu coração.

3 Comentários:

Blogger un dress disse...

ao cair da noite

dobro as sedas

e

fecho a gaveta:

a que sabe eternizar

o perfume do pó

12 janeiro, 2008 16:46  
Blogger isabel mendes ferreira disse...

e eu agrafo este momento!!!!



belo.




beijo.

13 janeiro, 2008 19:30  
Blogger francisco carvalho disse...

obrigado, un dress. (este comentário ainda há-de ser elevado a post...)
obrigado, isabel.

beijos

14 janeiro, 2008 09:53  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial