21 novembro, 2007

da rosa fixa (prosa 162)

de Maria Velho da Costa


Vidas jogam-se de uma grande agonia
possível ao Sul. A tormenta não é
geográfica. Ao Norte, o urro contido
assemelha o escarvar do cavalo
da insídia. Só o amor é justiça, ó
abandonados.

3 Comentários:

Blogger Mónica (em Campanhã) disse...

já lá fui pelo link da Carla: muito gira essa vida. não tinha mesmo visto há um ano; ou não percebi que era teu ou apanhei daqueles dias em que o fileden não dá.

21 novembro, 2007 21:06  
Blogger francisco carvalho disse...

Obrigado, Mónica.
Uma sorte, foi o que foi. Um momento autêntico que, talvez com certeira intuição e urgente inspiração, não deixei escapar... apesar das tantas limitações técnicas como cartões de memória cheios, telemóveis a tocar e a interferir, a filha a pedir para ir embora, a primeira vez a filmar a sério com máquina fotográfica, etc...
Uma sorte que me trouxe tantas coisas bonitas, que me deu já tanta coisa boa que naquela hora eu estava bem longe de suspeitar que viessem a acontecer...

22 novembro, 2007 00:41  
Blogger hfm disse...

Que vigor! como ela própria.

22 novembro, 2007 10:34  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial