24 outubro, 2007

verso a verso, de Fiama Hasse Pais Brandão

Nada existe
sem a face real e o verso imaginário.
Desse modo repito
emoções que já senti
em outros versos.
Neste ou naquele motivo
que também na vida se repete
cada verso reencontra em outro poema
o mesmo verso.

3 Comentários:

Blogger isabel mendes ferreira disse...

verso a verso bebo todos os mil versos da Fiama...

"bordadeira" da renda maior da Poesia.


um beijo F.

24 outubro, 2007 17:27  
Blogger eremita disse...

Fiama e sua poesia. Nossa que ela no-la oferta. Foi um gosot ghegar aqui.
Vim seguindo as pégadas dessa outra grande senhora das palavras, isabel m. f.
Fraterno abraço.

25 outubro, 2007 21:05  
Blogger francisco carvalho disse...

Obrigado, caro eremita. Quanta honra tê-lo chegado aqui através da isabel m. f., minha tão generosa e ilustre visitante, artesã maior da palavra poética, da nossa bela língua...

Abraços.

05 novembro, 2007 09:54  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial