14 setembro, 2007

"o seio florescido"

de Ramón Gómez de la Serna


"É um fenómeno esperado e que há-de acontecer no dia de
uma maior evolução, no dia em que se preparar o advento da
nova mulher de outro género que não o da mulher presente.
Nesse dia de passagem de uma hora da mutação para a outra
- horas que duram séculos - os seios abrir-se-ão florescidos
finalmente, transformados na camélia riçada que são por
dentro.
Elas vão sofrer com o fenómeno, custar-lhes-á a dor de dois
partos, mas darão consigo ataviadas como nunca.
Com o maior cuidado guardarão nas blusas os seios temendo
que se desfolhem, e como os seios já terão perdido a obsceni-
dade aparente que tinham outrora por a sua forma se tornar
inexplicável e portanto excitante, abrirão dois buracos nas
blusas para se ver, como flor viva, a grande camélia de carne
com o tipo de camélia de cera, a flor em que os seios se terão
perdido para sempre."

1 Comentários:

Blogger un dress disse...

parece-me que há palavras que só podem nascer duma acidental beleza

depois desse pó de incontáveis verões se revelar à boca dos dedos



...

15 setembro, 2007 17:06  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial