06 dezembro, 2006

"Encantatória", de Luiza Neto Jorge

Custa é saber
como se invoca o ser
que assiste à escrita,
como se afina a má-
quina que a dita,
como no cárcere
nu se evita,
emparedado, a lá-
grima soltar.


Custa é saber
como se emenda morte,
ou se a desvia,
como a tecla certa arreda
do branco suporte
a porcaria.

2 Comentários:

Blogger a rasar o ceu disse...

...e custa tanto saber....

_____________!

(ainda bem que li o seu coment na Alice-----é exactamente o que penso DAQUELA ESCRITA)


beijos.

06 dezembro, 2006 19:35  
Blogger Pinky disse...

Já conhecia este poema dela, gosto muito. Ela escreve muito bem sobre isso... a escrita e o escrever.
;)

08 dezembro, 2006 23:08  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial