03 dezembro, 2006

um poema de Luis Buñuel

A MIM FAZIA-ME JEITO

Lágrimas ou salgueiro sobre a margem
de dentes de ouro
de diamantes de pólen
como a boca de uma rapariga
de cujos cabelos brotava o rio
em cada gota um peixe
em cada peixe um dente de ouro
em cada dente de ouro um sorriso de quinze anos
para que se reproduzam as libélulas.

Quando o vento lhe destapa as coxas
é inocente uma donzela?

do livro "Os Poemas de Luis Buñuel" por J.F. Aranda, com
tradução de Mário Cesariny

3 Comentários:

Blogger hfm disse...

Gostei de ler.

03 dezembro, 2006 09:57  
Blogger Mendes Ferreira disse...

e diante deste rio fazia falta um olhar.


_____________de ouro ou de lua.


assim. lúcido.


beijo.

03 dezembro, 2006 19:11  
Blogger sleep well disse...

Tão lindo...

03 dezembro, 2006 19:42  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial