04 dezembro, 2006

dois amantes

dois amantes deixam-se cair e assim, ajoelhados, beijam-se.
beijam-se, devoram-se, roubam-se, quase se despedaçam.
sossegam. como que à espera de um beijo que os ali deixasse
colados para sempre. como se o amor pudesse ser puro diamante.
como se duas bocas pudessem saciar todas as sedes do mundo.
dois amantes beijam-se, desvelam-se, descobrem-se num largo
desejo de que o inverno ali acabe e se invente o ardente verão.
e assim se entregaram os corpos amantes, num lancinante
desejo que o inferno fosse apenas ali. e ali se consumisse.
que o secreto arco do amor ali se consumasse. como terno
e brando fogo. arroubo eterno.

4 Comentários:

Blogger hfm disse...

Gostei deste "arroubo eterno".

04 dezembro, 2006 10:37  
Blogger Mendes Ferreira disse...

assinalável.


quase de "missa"...



beijo.

04 dezembro, 2006 14:40  
Anonymous A.R. disse...

do melhor francisco. do teu melhor

05 dezembro, 2006 17:59  
Blogger sleep well disse...

muito bom.
lindo.
terno.
só.
gostei.
muito.

06 dezembro, 2006 16:34  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial