31 outubro, 2006

chico qualquer

voltou a música desse bolero fatal.
imaginei que essa actriz cantava para mim.
inventei que fazia cinema.
sonhei que me sussurrava palavras dançarinas:
eu te amo, te amo, amo...
beijos ferinos de mil perdões.
o amor palavra lavrada
no corpo belo da mulher.

contra as vitrines do hotel de subúrbio,
um beijo leve dos futuros amantes.
outros sonhos por atear,
outros sons por desatar,
filme sempre em aberto,
blues breve de triste tom,
minha singular canção,
eu, um chico qualquer.

(poema nascido das palavras de alguns dos títulos das 33 canções
do show Carioca de Chico Buarque)

Photobucket - Video and Image Hosting
© Porto, Outubro 2006

6 Comentários:

Anonymous lee yutao disse...

Chico´s father wrote a great book: BRAZIL ROOTS.

Marley's father wrote what? He also was a Chico qualquer.

31 outubro, 2006 15:08  
Blogger a rasar o ceu disse...

boa tarde Francisco.

______________
______________.

31 outubro, 2006 15:46  
Blogger hfm disse...

"The" Chico.

31 outubro, 2006 16:12  
Blogger chi kung for beautiful ladies disse...

Francisco, Lee Yutao gave me your blog address. We welcome you in our "chinosphere".

31 outubro, 2006 20:37  
Blogger chi kung for beautiful ladies disse...

all beautiful ladies in OPORTO are invited!

01 novembro, 2006 12:16  
Blogger Eduarda disse...

Foi tão lindo...tão lindo...

01 novembro, 2006 21:58  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial