08 junho, 2006

o aparo do demónio

É hoje à noite, na Feira do Livro do Porto, o lançamento d' O
Aparo do Demónio, primeiro livro de Alberto Serra, com
fotografias de Fernando Veludo e prefácio de Mário Cláudio.

Um livro de um homem curioso do mundo, um ser fascinado
pelo poder sensual e transformador da palavra, um homem
vivido a (de)cantar a beleza sublime da mulher, um poeta no
desamparo das coisas do amor, um homem armado de metá-
foras, como que esconjurando os seus demónios. Um homem
de bem na sua pele.

Um livro que é também uma oferenda, um belo corpo gráfico,
espelho justo do esfoço artístico de muitas vontades.
Lá estará também, a apresentá-lo, o Pedro Abrunhosa, mas
sem o aparato do(s ban)demónio.

Photobucket - Video and Image Hosting

" Quero-te em bruto como lenha fresca. Nua e desprevenida
como uma folha a tombar no rio. Vem pelo fundo da noite
inunda-me de branco no cheiro da roupa."

Alberto Serra, O Aparo do Demónio

10 Comentários:

Blogger MOLOI LORASAI disse...

Lamento muito, ó Serra, gosto dos teus poemas até agora apresentados pelo cândido Francisco, mas o Abrunhosa vendeu-se ao demônio do banco Millenium, vou ter que tapar um olho, ao modo de Camões, para não vê-lo.

08 junho, 2006 12:18  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

E quem é Pedro Abrunhosa para apresentar um poeta?

08 junho, 2006 17:50  
Blogger Nuno Vieira disse...

e quem és tu?

10 junho, 2006 01:25  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

Ó Nuno Vieira, eu sou eu. Abrunhosa não é ele. Simplesmente.

10 junho, 2006 13:34  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

Alguém que faz propraganda com a sua cara ao banco Millennium como pode ousar criticar a globalização, etc e tal. VIVA O CAPITALISMO! VIVA O COMUNISMO!

10 junho, 2006 13:41  
Anonymous Anónimo disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

21 novembro, 2009 10:45  
Blogger Susana Oliveira disse...

a mulher é lenha. ai mulheres, triste sorte

13 novembro, 2011 00:45  
Blogger Susana Oliveira disse...

e é q nós mulheres dele acabamos todas no rio e nao na fogueira, é sp o mesmo apartamento. ó serra, possa

13 novembro, 2011 00:48  
Blogger Susana Oliveira disse...

não sou de lavar roupa suja, mas como sou Assistente Social, perante o livro, devo dizer q nada me diz. O autor e peço desculpa pelo que vou dizer, pois nem senti nada por esse Sr do que sei é muito indelicado com as mulheres e ate diria, e peço desculpa, mas vou falar em nome de muitas, porco com elas, pelo que não merece glorias, não gosto dos seus poemas que vêm cheios de falsidade taõ profunda quanto o Sr que só tem palavras, e Deus sabe e o dicionário, que Às vezes nem isso. Não gosto de si, Sr Serra e acho que pelo menos uma mulher, melhor se for Assistente Social lhe diga que o sr nem poeta nem importante só alguem sem espelhos. Olhe que não ter espelhos é o que mais grave ha n ser humano. Publique muito, mas mostre a sua cara verdadeira e não fale da mulher, pois essa, o Sr so humilha e usa, fale do vento, fale do ar, mas n fale de nós. Peço desculpa ao autor do blogue mas estou farta que encham este sr de glorias pouco merecidas

13 novembro, 2011 23:18  
Anonymous Anónimo disse...

Srª Dª Susana Oliveira, as suas palavras demonstram nitidamente duas coisas:
Primeiro, que não gosta de lavar roupa suja!!!!!!!!!!!!!!!!
Segundo, não tem um pouco de amor próprio!

24 outubro, 2012 01:17  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial