01 janeiro, 2006

sms

sol, mar, saúde.
ser mais seguro.
sonhos mas sorte.
sem merecer solidão.

7 Comentários:

Blogger MOLOI LORASAI disse...

SÓ MIMI SABE

01 janeiro, 2006 20:57  
Blogger francisco carvalho disse...

Sábio Moloi Sempre

01 janeiro, 2006 22:13  
Blogger Eduarda disse...

e eu só sei que gostei...

01 janeiro, 2006 23:04  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

eu queria me sabiar até o dia da morte porque a sabedoria é o único DAS KAPITAL que se leva daqui, pra quem acredita que não somos um aglomerado quántico de energia ajuntados ao acaso.

02 janeiro, 2006 12:01  
Blogger Patrícia Nogueira disse...

Sempre Muito Sentido

02 janeiro, 2006 13:25  
Anonymous Jorge Vicente disse...

belo poema, a jogar com as mensagens de telemóvel: sms. uma maneira original de escrever poesia tendo como base um aspecto do quotidiano.

Parabéns, temos poeta!

Jorge Vicente

03 janeiro, 2006 11:33  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

AS DUAS IRMÃS



as duas irmãs pereceram
como trevas presas à noite
entoando os seus cabelos
e sacrificando o hino ao vestido
de seda branca, que usam os
neófitos quando se precipitam
na ribeira alta,
sob nenhum olhar e sem pronunciarem
a estrela d'alva.



desenho um quadro em que os homens
são guerreiros das giestas,
o passo largo dos deuses que dorme
perante o sangue. só a esteva
se ilumina e morre da madrugada do
mundo.



as duas irmãs morrem apenas. e deixam
o país das uvas. em que a terra
é um líquido mudo, que engana a flor
e a deixa sem rosto. retiras os lábios
dos lábios da gazela e o teu castelo
vai-se quebrando, sob uma lua
de olhos brilhantes. e com o crepitar
do fogo como único brilho.



matinas.



Jorge Vicente


Last Updated: Thursday


temos aqui um poeta, do cotidiano, não. Jorge Vicente deve gostar de Holderlin e Novalis.

03 janeiro, 2006 13:16  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial