28 agosto, 2005

poema que não foi à missa

da janela o mar, uma mesa, uma pizza
na tv uma bola bem no ângulo da baliza
ao fundo do bar o chão que ela pisa
sonhar o mundo numa casa do Siza
sob a flanela os lisos seios de Elisa
na pressa do amor nem ponho a camisa
rima mais oblíqua que a torre de Pisa

2 Comentários:

Blogger JOSE MANUEL CARVALHO disse...

Certo está quem o baptiza.

05 setembro, 2005 23:57  
Blogger francisco carvalho disse...

:))

06 setembro, 2005 00:21  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial