10 janeiro, 2009

o seu vício das letras

Imagine um deus pecador, pecador
mesmo.


Qual seria o universo resultante?



Quem sabe o autor destas palavras, Paulo Luiz Barata, meu anda-
rilho amigo e inclassificável poeta, não apresenta hoje, no lança-
mento do seu livro Senya Semiotyka, o último da trilogia
"Mingus", um esboço de resposta para tão aliciante questão.
Quem sabe nos revelará a chave para semioticamente acedermos
a esse mundo muito pessoal de «spirituals, ímans e porrilóquios».
Hoje, por volta das quatro da tarde, na livraria Vício das Letras,
em Santa Maria da Feira.

4 Comentários:

Blogger MOLOI LORASAI disse...

pauloluiz barataa nao é poeta, é o meu escriba!!!

11 janeiro, 2009 10:17  
Blogger isabel mendes ferreira disse...

a surpresa do nunca deixar de ser uma surpresa.....BOA!!!!



amei!


beijos.-!!!!

12 janeiro, 2009 09:36  
Blogger PiresF disse...

Seria um universo de seres singulares, quiçá, tão singulares quanto o Paulo, senhor de uma “loucura” saudável.

Abraço.

12 janeiro, 2009 12:35  
Blogger Catarina disse...

O Paulo não disse qual seria, afinal, o universo resultante desse Deus pecador.
Mas disse tantas coisas... mesmo durante o silencio que gerou enquanto afinava o seu Violão...
Singular escriba, o do Moloi!
Abraço

12 janeiro, 2009 15:22  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial