13 janeiro, 2009

ainda

do livro do frio 
de Antonio Gamoneda



Há uma erva cujo nome não se sabe; assim foi a
minha vida.

Regresso a casa atravessando o Inverno: esquecimento
e luz sobre as roupas húmidas. Os espelhos estão
vazios e nos pratos cega a solidão.

Ah a pureza das facas abandonadas.

2 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

suplanta a retórica a retórica é suplantada pela poesia muitos ficam pela fronteira e afundam nela...

13 janeiro, 2009 11:02  
Blogger hfm disse...

Ah a poesia!

13 janeiro, 2009 12:17  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial