16 junho, 2008

palavras de mann

«As pessoas dizem 'Sorri' a torto e a direito: os adultos, por
exemplo, querem sempre que as crianças riam muito, que
saltem muito - pelo menos senti isso quando estava a crescer.
Mas porque é que eu não posso estar com a disposição - boa
ou má - que eu queira à vontade?»

«'Porque é que não compões canções alegres?' Não sei, porque
não tenho jeito? Porque não me sai assim? Não sei. Para que
serve uma canção alegre? Diga-me uma canção alegre que valha
a pena.»

«Não se consegue conhecer ninguém pela arte que faz - a arte
pode ser um reflexo da vida que se leva, ou levou, mas também
pode ser o oposto. E pode ser apenas aquilo que se consegue
fazer, porque não se sabe mais. A música que me interessa é
escura, mas pense assim: o James Taylor era heroinómano e
isso não se reflecte na música dele.»

«O Joe Henry faz música muito escura e nunca conheci ninguém
tão completo, é muito arrumadinho e limpo. É um óptimo pai e um
homem muito eloquente. Mas depois também há o Elliot Smith.»


(algumas respostas de Aimee Mann dadas por telefone a João
Bonifácio, retiradas da entrevista por ele publicada no Ípsilon
deste sábado)

3 Comentários:

Blogger alice disse...

palavras que gostei muito de ler, francisco. é bom saber que a arte que alguém produz pode não ser um espelho da sua vida ou do seu carácter.

16 junho, 2008 10:57  
Blogger jorge vicente disse...

a arte de alguém que já se transcendeu a si própria.

adorei estes pequenos pedaços de aimee mann

um abraço
jorge vicente

16 junho, 2008 11:57  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

arte é autentica ou não é. James Taylor gravou you got a friend,dã Carole King .

17 junho, 2008 09:45  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial