04 abril, 2008

o segundo café da manhã

um poema de João Luís Barreto Guimarães


Pela metade da manhã o departamento pára
para chegar ao biscoito. É
pelas dez e
dezoito. O
segundo café da manhã sabe
melhor que o primeiro onde
este é dever é
o segundo sem pressa (o
primeiro é acordar onde
o outro desconversa). O
saldo das calorias desculpa à mesma mesa
o doutor e a empregada e
a caixa de bolinhos de onde se amove metade
do dobro
da unidade. Só
a mais forte declina numa angústia dilecta
"começou hoje a dieta".

3 Comentários:

Blogger isabel mendes ferreira disse...

uma "pérola" adoçada com humor.




beijo.


tb para todas as sobremesas.

05 abril, 2008 01:09  
Blogger Mónica (em Campanhã) disse...

o JL, sempre irrepreensível . conheces o poesia & limitada (blog dele)?

05 abril, 2008 22:41  
Blogger alice disse...

vi-o e ouvi-o numa palestra na feira do livro, subordinada ao tema "o que é a poesia?". a certa altura, ele anunciou: agora, vou ler um poema que se chama "não te esqueças" e todos ficamos quietos, suspensos no que ele ia dizer. então ele disse o poema "não te esqueças da escova de dentes virada ao contrário". ;) beijinhos

(refiro-me ao josé luís barreto guimarães, naturalmente)

11 abril, 2008 23:26  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial