11 dezembro, 2007

crystie street

outro poema de J. M. Fonollosa
(tradução de Júlio Henriques)

O caminho está cheio de cidades
cujo nome perdi. Tal como o teu.

Cobria-te do sol pela manhã
e era suave ocultar-te com o corpo.
Isso deve bastar-te. Basta-me a mim.

É inútil chorares aí à porta:
os sapatos conduzem-me ao caminho.
Atira se puderes minha lembrança a um poço

ou aprende as canções da tua infância.
Os sapatos conduzem-me ao caminho.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial