10 outubro, 2007

corsário



Ar puro. Às vezes esta necessidade. Às vezes esta vontade
do ar mais puro. De uma quieta e miraculosa liberdade.
Às vezes essa incapacidade. Essa impossibilidade de osmose.
Ah!, quem me dera ser inteiro no âmago de uma canção como
esta...
Às vezes esta vontade indisfarçável de cantar o silêncio.
Essa miragem de espantar a minha própria sombra.
Ah!, cantar assim deve saber tão bem...

Não tenho o dom de cantar. Apenas sei chorar à boleia de
estrangeiras melodias, na ilharga de alheias dores.
Ah!, quem me dera ser corsário no coração de uma ave...

3 Comentários:

Blogger Pinky disse...

Sempre gostei de gospel! Seja ela negra ou de... piratas ;)!
Beijos

10 outubro, 2007 20:33  
Blogger isabel mendes ferreira disse...

ave ou pirata.


coração de gaivota.
e sempre a pureza no olhar.


coisas.

de quem "se" espera. em cada mão.



beijos.

11 outubro, 2007 08:31  
Blogger M em Campanhã disse...

belíssima voz

11 outubro, 2007 22:28  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial