19 dezembro, 2006

canção do inverno (silly song)

quero que você me aqueça
neste inferno
e todo este amor não passe
do inverno

quero que você me peça
num segundo
todas as palavras do fim
do mundo

quero que você me esqueça
do coração
e seu fogo prometido roube
esta canção

quero sua louca promessa
do inferno
e que seu corpo se despeça
do inverno

5 Comentários:

Blogger Y. disse...

... ....



silly mas pouco...


... ... eu diria que muito apropriada à época... ... :)



beijo Francisco.

19 dezembro, 2006 15:31  
Blogger Manuel Jorge Marmelo disse...

Parabéns pelo aniversário, Francisco.

19 dezembro, 2006 16:23  
Blogger chi kung for beautiful ladies disse...

Uum longo arrepio. que fatalidade lhe ditou este poema? há quem diga que basta a vida. afinal, viver é fatal. eu ficava tão bem caladinha.

m poemínimo de Aliece, sem ter tido a intenção de o ser:

um longo arrepio. que fatalidade lhe ditou este poema? há quem diga que basta a vida. afinal, viver é fatal. eu ficava tão bem caladinha.

19 dezembro, 2006 16:23  
Blogger MOLOI LORASAI disse...

Quando o Rei canta
"o bem e o bem existem"
pensará na extinção do livre arbítrio,
no apagamento da queda,
na ascenção do planeta
a frequencias insuspeitadas?
Ou será mais uma de suas figas?
Quando o Rei canta muitos mudam de sintonia.

19 dezembro, 2006 19:07  
Blogger francisco carvalho disse...

Obrigado, Jorge.

19 dezembro, 2006 22:07  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial