23 novembro, 2005

minhas concomitâncias brasileiras

ouvindo metrô, lendo Ana Cristina César.


Era noite e uma luva de angústia me afagava o
pescoço.
( minha mãe me falou que eu preciso casar
pois eu já fiquei mocinha)
Composições escolares rodopiavam, todas as que eu
lera e escrevera e ainda uma multidão herdada de
mamãe.
(procurei um alguém e lhe disse meu bem
você quer entrar na minha?)
Era noite e uma luva de angústia...Era inverno e a
mulher sozinha...
(acontece porém
que eu não sei me entregar
a um amor somente)
Escureciam as esquinas e o vento uivando...
(quando eu ando nas ruas fico só namorando
e olhando pra toda a gente)
Saí com júbilo escolar nas pernas, frases bem
compostas de pornografia pura, meninas de saiote
que zumbiam nas escadas íngremes.
(meu amor se zangou de ciúmes chorou
não quer mais ficar ao meu lado
e hoje eu sigo sozinha
sempre no meu caminho
solta e apaixonada)
Galguei a ladeira com caretas, antecipando o frio e os
sons eróticos povoando a sala enfumaçada.
(coração ligado
beat acelerado)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial