16 outubro, 2005

nina lugovskaia

Aos treze anos, a 24 de Março de 1933, escrevia no seu diário:

"Eles recusaram-se a pôr o carimbo no passaporte do pai.
Que tempestade na minha alma! Não sabia que fazer.
Invadiu-me uma raiva impotente. Comecei a chorar. Caminhei
de um lado para o outro pelo quarto, praguejei, cheguei à
conclusão de que é preciso matar estes patifes. Parece ridículo,
mas não é uma brincadeira. Durante alguns dias, estirada na
cama, imaginei como farei para o matar [Estaline]. As suas
promessas de ditador, patife e bandido, vil georgiano que
estropia a Rússia. Como é possível? A Grande Rússia e o grande
povo russo caíram por inteiro nas mãos de um velhaco."

Haverá adolescentes assim hoje? Cultos, lúcidos, escritores de
diários?
Haverá algum jovem, algures, a manifestar a sua vontade de
eliminar os facínoras e os fascistas deste mundo?
Na Coreia? Na Venezuela? Em Cuba? No Irão? Por aí fora?
Haverá porventura alguma criança em todo o mundo que se
tenha imaginado já a matar o senhor Bush?
Andaremos todos muito anestesiados com sms's, e-mail's, blog's?
A verdade da vida esquecida entre linhas?

" Eu Quero Viver - Diário de Uma Adolescente na Rússia
Bolchevique", assim se chama o livro agora publicado em Portugal,
ontem referenciado no "Mil Folhas".

7 Comentários:

Anonymous guevara disse...

talvez tenhas razão, talvez não.

talvez os blog's tenham algo a ver, talvez ajudem, talvez não.

e talvez os sms's nos deturpem a realidade e não nos permitam raciocinar...

talvez...

talvez nenhuma editora, hoje, se interessasse pelos pensamentos cultos, lúcidos de um adolescente!

16 outubro, 2005 11:28  
Blogger francisco carvalho disse...

Eu sei, Guevara, que os blogues têm algo a ver...
Aliás, eu não quis afirmar nada, não gosto muito de ter certezas inabaláveis. Só pretendi provocar um poucochinho...
O que é também provocar-me.
;)

16 outubro, 2005 12:22  
Anonymous Anónimo disse...

A questão não é o nome de um ditador, mas o povo que o coloca no governo, que permite que ele governe, Hitler, Mussolini, Bush, são nomes, são indivíduos. A Alemanha de Hitler era uma Alemanha perdida, desejosa de um líder, os EUA de hoje também estão perdidos, desejosos de uma mão forte, por muito que se condene um ditador, é necessário conhecer primeiro o povo que o sustenta.

16 outubro, 2005 16:27  
Anonymous guevara disse...

provocaste bem!

aliás... é este o interesse das partilhas via blogger! a meu ver...

;)

20 outubro, 2005 18:30  
Blogger jackson lima disse...

eu acredito sim que o diario de nina lugovskaia ( luga) p/ os íntimos é um relato vivo da tirania dos bocheviques a favor de estalin.
Uma menina de apena 13 anos ralatando com perfeição , melôncoliaos os terrores q ele passou

08 setembro, 2007 15:40  
Anonymous Anónimo disse...

ela éra uma adolescente sincera q escrevia todos seus sentimentOs no diário...eu cOncOrdo com ela..

25 maio, 2009 20:14  
Anonymous Raíza Luara disse...

Eu li o Diário de Nina, 2 vezes aliás. Ela se parece muito comigo, afinal, sempre gostei de escrever e o faço até hoje em meus diários. A vida não se resume apenas em dias, anos; mas sim no vasto reino da escrita.

08 dezembro, 2009 13:32  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial