13 setembro, 2005

conversa inacabada

- Tu és um gajo demasiado puro.
- Todos os corações são impuros...Não sou é predador.
- Não é isso, és puro demais. As pessoas não são assim. As
pessoas jogam.
- Eu sei. Todos jogamos. Mas eu já nas lerpinhas da adoles-
cência era prudente, não arriscava à toa. Não era aqui que
querias chegar?
- Talvez não sejas um predador, mas és decerto um perdedor.

3 Comentários:

Blogger MOLOI LORASAI disse...

Escrito por Moloi em 1975:

PARTE I


Eu temo que isto num instante
Vire o paraíso.
Pois ainda não estou preparado
Para o dia do Juízo.

Eu mereço este mundo
E êle me merece.
Não pensem que eu sou vítima sofredora
Eu sou o carrasco.

Guerras, fome e miséria
Tudo isto está também dentro de mim.
Por isto eu temo que isto
Vire o paraíso.

Sou mau, sou feio, sou bruto.
Não fui cristão devorado na
arena por leões aos olhos e bocas do povo.
Eu fui aquele que baixei o polegar.

Hoje acordo da vida e vejo que
não sofro o bastante.
Sofro o necessário pra poder continuar
E procurar o paraíso.

Mas não me engano:
Hoje não pode haver o paraíso.

Sou mau, sou feio, sou bruto.
Fui daqueles que ouvi a palavra de Cristo
E depois gritei: Barrabás.
Se não fui Judas posso afirmar que êle foi mais corajoso.

13 setembro, 2005 14:06  
Blogger v.1 disse...

adivinha quem está na área. aparece para facturar

13 setembro, 2005 18:56  
Blogger Bárbara Vale-Frias disse...

Compreendo-te, Francisco. Às vezes também oiço umas coisas idênticas vindas dos que me estão mais próximos...

E também acho que não vale a pena arriscar à toa ;) Aliás, ganhava sempre à lerpa por causa disso :)

Um dia conto no meu blog uma história da lerpa passada com o meu pai em África. Uma não. Duas. Muito boas :)

14 setembro, 2005 00:53  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial