08 outubro, 2009

o nobel é uma grande distinção sobre um homem

Não sei porque deixo, por vezes, palavras cravadas no corpo
dos livros. Talvez seja essa crescente necessidade de registar a
passagem do tempo. Uma espécie de substituição da esburacada
memória que parece esfumar-se sem apelo...
Ninguém parece conhecê-la mas eu sei que a li. Chego a casa,
procuro na estante. Demoro algum tempo, tinha a impressão que
a lombada não era tão estreita.
" O homem é um grande faisão sobre a terra".
19.4.93, o azul simples de um esferográfica. Primeira edição da
Cotovia. Modestos mil e quinhentos exemplares imprimidos em
Viseu. Creio tê-los visto, alguns deles, ao longo destes anos, ao
desbarato por toda a sorte de feiras do livro. Destino muito comum.
E um dia vem o Nobel para tirá-los do esquecimento, do recôndito
da mais esconsa prateleira, do pó pouco diáfano dos armazéns.
Tenho, portanto, o livro. Sou um dos felizes contemplados.
Relê-lo-ei. Deixo-vos um excerto.



"Quando Amalie tinha sete anos, Rudi atravessou com ela o
milheiral. Levou-a até ao fundo do quintal. "O milho é a flor-
esta", disse ele. Rudi foi com Amalie para o celeiro. Ele disse:
"O celeiro é o castelo."
No celeiro havia uma pipa vazia. Rudi e Amalie meteram-se
na pipa. "A pipa é a tua cama", disse Rudi. Pôs uma coroa de
bardanas secas no cabelo de Amalie. "Tu tens uma coroa de
espinhos", disse ele. "Estás enfeitiçada. Amo-te. Tens de so-
frer."
Rudi tinha o bolso do casaco cheio de cacos de vidro colorido.
Colocou os bocados de vidro na borda da pipa. Os cacos cin-
tilavam. Amalie sentou-se no fundo da pipa. Rudi ajoelhou-se
à sua frente. Levantou-lhe o vestido. "Bebo o teu leite", disse
Rudi. Chupou os mamilos de Amalie. Amalie fechou os olhos.
Rudi mordeu-lhe os pequenos bicos castanhos.
Os mamilos de Amalie incharam. Amalie chorou. Rudi foi para
o campo pelo fundo do quintal. Amalie correu para casa.
Os ouriços da bardana ficaram-lhe colados ao cabelo. Estavam
enrolados. A mulher de Windisch cortou com uma tesoura as
pontas de cabelo embaraçado. Lavou os mamilos de Amalie
com chá de macela. "Não podes voltar a brincar com ele", disse
ela. "O filho do peleiro é maluco. Por causa de tanto animal
empalhado não regula bem da cabeça."
Windisch abanava a cabeça. "Amalie ainda nos há-de enver-
gonhar", disse ele."

5 Comentários:

Blogger MOLOI LORASAI disse...

há quem acredite no Nobel, eu acredito na Agustina e no Ballester.

09 outubro, 2009 15:03  
Anonymous MOLOI SIMPLORIUS disse...

POR QUE ESTE SILENCIO, ÉS CANDIDATO AO NOBEL DO SILÊNCIO???

13 outubro, 2009 18:39  
Blogger francisco carvalho disse...

Candidato, passe a presunção, ao nobel do trabalho...

(Eh, pá!... Ali na caixinha de baixo vou ter que escrever "impur"...)

Isso. Preciso de me purificar. Se calhar, é isso.

13 outubro, 2009 22:37  
Anonymous moloi cid barretto disse...

olá francisco, a palavra que saiu na verificação foi manie.

bem sintomático. o site dá Maitê não consigo entrar.

abaixo vai de texto que saiu no jornal O Globo.

mas o que se pode esperar de uma mulher cujo o pai assassinou a esposa (mãe de Maitê) e anos depois se suicidou?

Em declarações ao site O Globo, a actriz brasileira Maitê Proença pede desculpa aos portugueses mas acha que "está a faltar o humor às pessoas".

Em declarações ao site O Globo, a actriz brasileira Maitê Proença pediu desculpa aos portugueses após a indignação causada por um vídeo sobre Portugal que apresentou no programa 'Saia Justa'.

No site O Globo a actriz diz que "tudo não passou de uma brincadeira". Segundo Maitê Proença, "só quem não vê o 'Saia Justa' poderia levar isso a sério. No programa, a gente ironiza até o presidente Lula".

Apesar do pedido de desculpa, Maitê Proença considera no entanto que "está a faltar o humor às pessoas".

A indignação causada em Portugal pelo vídeo de Maitê Proença levou à criação de uma petição online a exigir um pedido de desculpa "ao povo português e a toda a sua história" que já contabiliza quase 2000 assinaturas.

Veja aqui a petição

Veja aqui o site o Globo

13 outubro, 2009 23:15  
Anonymous moloi cid barretto disse...

O texto do jornal começa em declarações;;;

13 outubro, 2009 23:16  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial