08 maio, 2009

cristina campo

Amor, hoje teu nome
a meus lábios escapou
como ao pé o último degrau...

Espalhou-se a água da vida
e toda a longa escada
é para recomeçar.

Desbaratei-te, amor, com palavras.

Escuro mel que cheiras
nos diáfanos vasos
sob mil e seiscentos anos de lava —

Hei-de reconhecer-te pelo imortal
silêncio.





(poema sem título retirado de "O passo do adeus" de 
Cristina Campo, com tradução de José Tolentino 
Mendonça, edição Assírio & Alvim)

1 Comentários:

Blogger Borboleta disse...

adoro :)

10 maio, 2009 21:00  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial