26 setembro, 2005

cidade sem seiva

Image hosted by Photobucket.com
© Porto, Janeiro 2005


Cidade sem seiva, cidade sem chama, cidade sem teatro.
Cidade submersa, cidade sem oxigénio, cidade sem génio.
Cidade em coma profundo, cidade mais de ilusões inúteis
do que úteis visões. Cidade anémica, esvaída, esquecida.
Cidade a morrer à beira do deserto. E o futuro ali tão perto...
Um drama, portanto. Nas palavras de António Reis, do
Teatro Seiva Trupe, sob o ponto de vista cultural, o Porto
vive o maior pesadelo de que se lembra.
Não é verdade, mas anda lá muito perto.
Acordemos!

2 Comentários:

Blogger guevara disse...

Sabes o que me enerva?
Falta de pessoas que saibam viver no Porto, do Porto e para o Porto!

27 setembro, 2005 01:53  
Blogger francisco carvalho disse...

Também a mim, Guevara, também a mim.

27 setembro, 2005 09:23  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial