18 janeiro, 2010

mais do livro do frio

Estendo meu corpo sobre as madeiras gretadas pelas
lágrimas, cheiro a linhaça e a sombra.

Ah, a morfina em meu coração: durmo com os olhos
abertos diante de um território branco abandonado
pelas palavras.



Antonio Gamoneda,
em o "Livro do Frio" (tradução de José Bento)

1 Comentários:

Blogger Adilia disse...

Lindo, mas tão triste o sono em branco que invade tantas das minhas noites.

19 janeiro, 2010 15:17  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial