29 outubro, 2008

O círculo

um outro texto retirado de "Em Busca do Grande Peixe" da
autoria de David Lynch.



"Gosto do ditado: «O mundo é como tu és.» E acho que os filmes
são como nós somos. É por isso que, embora os fotogramas de
um filme sejam sempre os mesmos - o mesmo número, na mesma
sequência, com os mesmos sons -, cada projecção é diferente.
A diferença é por vezes subtil, mas está lá. Depende do pú-
blico. Existe um círculo que vai do público para o filme e
regressa. Cada pessoa está a olhar e a pensar e a sentir e a
conceber o seu próprio sentido das coisas. E é provavelmente
diferente daquilo por que eu me apaixonei.
Não se sabe como é que ele vai atingir as pessoas. Mas, se se
pensasse em como é que vai atingir as pessoas, ou se vai
magoar alguém, ou se vai fazer isto ou se vai aquilo, então
teria de se deixar de fazer filmes. Simplesmente fazemos estas
coisas pelas quais nos apaixonamos e nunca sabemos o que vai
acontecer."

2 Comentários:

Anonymous paulo austero disse...

aprenda, Francisco, aprenda com o Lynch...

29 outubro, 2008 13:05  
Blogger francisco carvalho disse...

Sempre a aprender, meu caro. Milhares de livros por aí, e escolhi este. Logo eu, tão avesso a meditação...

29 outubro, 2008 22:31  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial